Tuesday, December 17, 2013

Metas 2014

Hoje resolvi escrever minhas metas de 2014. Abri o meu Caderno de Metas e comecei a reler as metas que eu havia feito nos anos anteriores. Me lembrei claramente do início do ano de 2012. Eu queria fazer de 2012 o melhor ano da minha vida. Me lembro de estar aflita por ter muitas metas e não ter coragem de abrir mão de nenhuma. No caderno está escrito:

METAS DE 2012:

  1.  Estudar piano
  2.  Focar no trabalho
  3.  Cuidar do lar
  4.  Ensinar meu filho de quase 4 anos a ler
  5.  Fazer sucos naturais de frutas orgânicas para a minha filha de 1 ano todos os dias
  6.  Ler um livro novo por mês
  7.  Fazer exercícios 3 vezes por semana
  8.  Reservar um tempo individual para cada filho
  9.  Me organizar


Esta última meta de me organizar chega a ser mais hilária do que a meta #5 pois ela está no meu caderno de metas desde 2003, já que sempre fui uma pessoa muito desorganizada.

Porém mesmo com metas tão "bonitas" 2012 começou com um balde de água fria porque fui demitida do meu emprego dos sonhos, trabalhei em alguns projetos menores, aí resolvi ficar grávida e focar na família e assim que engravidei descobri que era uma gravidez ectópica que me levou a uma cirurgia que retirou uma das minhas trompas e 50% das minhas chances de engravidar novamente. E foi nesse clima em que o ano (e não o mundo) acabou em 2012.

Por isso em 2013 desisti de escrever no meu caderno as mesmas metas mirabolantes de todos os anos. Resolvi que não ia fazer meta alguma e que ia ver o que acontecia.

Foi em 2013 que me deparei com essa readação do Joshua Millburn que fala como ele resolveu viver sem metas por algum tempo e como a vida dele mudou.

Minha primeira reação foi achar isso a maior loucura, "não existe progresso sem metas" eu pensei, mas hoje abrindo o meu livro de metas, e vendo o quanto eu cresci neste último ano mesmo com a página para 2013 estando em branco eu percebi que Millburn tinha razão. Não são as metas que me fazem crescer. São as pequenas escolhas que eu faço todos os dias. São as experiências que eu tenho, são as lições que aprendo simplesmente por estar viva.

Em 2013 eu acabei não fazendo nenhuma meta por revolta com a minha própria pessoa, com a minha falta de compromisso, com a minha falta de disciplina, por não acreditar que eu era capaz... e sem querer eu acabei tendo o melhor ano da minha vida. Trabalhei em projetos que me motivavam, publiquei um app para IOS na app store, conheci pessoas maravilhosas que mudaram minha vida, dei à luz mais uma menina.

Por isso a página de "Metas de 2014" do meu caderno vai ficar em branco mais uma vez, não por revolta, mas dessa vez por escolha.

1 comment:

  1. Amiga, que bom que o seu ano foi bem acomplished! O Mais importante, creio que seja estarmos buscando nos aperfeiçoar e fazer melhor constantemente.

    Eu gosto das metas, mas é claro que muitas passam sem serem cumpridas.... Porém, eu sei que eu não tivesse feito a meta de não comer açúcar, por um ano eu não teria emagrecido 25 kilos.
    Façamos então o que achamos melhor pra nos. Heheheh.
    Super beijo e feliz Natal!

    ReplyDelete